sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

Análise SWOT



Há alguns dias, tomei contato com uma ferramenta de gestão para planejamento estratégico de empresas que me encantou, chamada Análise SWOT. Consiste numa espécie de fórmula criada por dois professores de Harvard para medir, posicionar ou verificar a posição estratégica da empresa em um determinado ambiente. E o que isso tem a ver com a vida desmedida e desposicionada dessa que vos escreve? Exatamente tudo!!!!  Explico. A fórmula é muito simples e consiste em analisar sob o ponto do ambiente interno, a partir das coisas que a empresa pode controlar, as suas forças e suas fraquezas; e do ponto de vista externo, que não depende da empresa, as oportunidades e as ameaças. Ao aplicar essa fórmula numa determinada situação real, os resultados da análise foram tão esclarecedores que eu pensei imediatamente: todos os meus problemas estarão acabados se eu aplicar isso à minha vida!!

E lá fui eu, feliz e contente, colocar na ponta do lápis minha análise SWOT, começando por aquilo que eu controlo, minhas forças e fraquezas. É claro que tentei levar o método a risca e antes de mais nada, conceituar força. Força, segundo o Aurélio, é s.f. Toda causa capaz de agir, de produzir um efeito. A minha causa capaz de produzir um efeito é um tão sem número de coisas, mas decidi começar por ordem alfábetica, então, o AMOR é a primeira delas, que força maior haveria que meu amor pela vida, pelas pessoas, etc... Aproveitando dessa ordem alfabética, BELEZA, (pq não?? rsrsrsrsr), já que no mais das vezes, eu amo o belo, e, a partir daí a sequência incluiu coragem, emoção, fidelidade, lealdade, e parei, achei tudo isso pouco modesto (embora a modéstia ficou de fora da lista).

Agora, falar das fraquezas, que na minha interpretação do dicionário significa toda causa capaz de produzir um efeito contrário ao  desejado,  foi mais fácil, o dia não foi muito bem, e a lista começou com um ATRAPALHADA, seguiu com BARRAQUEIRA BRIGUENTA, capsciosa, descontrolada, dorminhoca, impulsiva, insolente, e chega de fraqueza, afinal, logo de cara a análise me colocou diante de um espelho muito cruel!

Mas prossegui, afinal era o caso de consertar a minha vida!! E a fórmula manda encontrar as oportunidades que eu, produto, posso proporcionar, lembrando que se trata de um ambiente externo, que eu não posso controlar, mas acho que posso oferecer: bons amigos, bons parentes (??), alguma cultura geral, tenho filhas lindas, o cara pode ser preso que talvez eu consiga soltar, entre outras cositas (gostei mais dessas!).

Segui para falar das ameaças e pensei sinceramente que a única ameaça possível, no campo amoroso, era o cara ser tão amado que o saco se enchesse, ou eu ser tão amada que o saco me enchesse, e no campo da amizade, da pessoa gostar de mim, e eu ser patética, e não cuidar da amizade (já aconteceu), ou eu gostar da pessoa e ela ser patética, ou a ameaça de eu gostar muito e a pessoa ter que se distanciar (isso aconteceu), e então, eu  parei!!!

Concluí pelo disparate da idéia de adaptar a minha vida a uma fórmula empresarial, ou qualquer outra fórmula que o valha, porque, na vida, tudo é muito mais improvável do que se possa imaginar!!!!  De repente, me dei conta que não é só por ser amável e inteligente que as pessoas serão amáveis e compreensivas consigo, e não é por ser desastrada que não vais ser uma ótima amiga; que ninguém vai se interessar por ti só porque teus amigos são muito legais, ninguém vai casar contigo só porque tua mãe é uma excelente cozinheira ; não é porque tu ama seus amigos que a vida vai dar um jeito de mante-los por perto; não é porque tu ama teus filhos que eles não serão submetidos a frustações, e por aí vai. A vida tem me provado, sem tabelas ou gráficos, que é muito melhor do parece, muito menos justa do que devia, e que não, de jeito nenhum, está sujeita a fórmulas, regras ou previsões. Análise SWOT, muito obrigada, foste mesmo útil, sinto-me muito mais aliviada por saber que as coisas são assim como são e não há nada que remediar. 




Nenhum comentário:

Postar um comentário